Memória

Marília Batista – centenário de nascimento

Por Alberto Buaiz Leite - 28/04/2018
Publicidade

Alguns não sabem, mas parte significativa da obra de Noel Rosa foi mostrada ao público, pela belíssima voz de uma cantora que o conheceu, ainda adolescente, tornando-se sua amiga. Seu nome é Marília Monteiro de Barros Baptista. Ela nasceu no Rio de Janeiro em 18 de abril de 1918 e iniciou sua carreira artística aos quatorze anos, ficando conhecida como “Princesinha do Samba”
     Marília Batista foi intérprete, compositora e instrumentista. Aos seis anos, teve o primeiro contato com um violão quando o barbeiro e violonista que cortava o cabelo de seu pai e seus irmãos esqueceu seu instrumento em sua casa. A menina apoderou-se dele e não mais o largou. Aos doze anos iniciou os estudos de violão com o compositor Josué de Barros. Mais tarde passou a estudar solfejo, harmonia e teoria e formou-se pelo Instituto Nacional de Música (atual Escola de Música da UFRJ). Em 1932, Marília gravou seu primeiro disco em 78 RPM, na Victor, com o samba “Pedi, Implorei” e a marcha “Me Larga”, ambas em parceria com seu irmão Henrique Batista. Em 1932, já atuava, ao lado de Noel Rosa, no programa de Ademar Casé na Rádio Phillips. Nos anos seguintes, com o “Poeta da Vila” gravou outros discos e passou a fazer parte do elenco da Rádio Nacional, em 1936. Em 1938, viajou ao Uruguai onde fez várias apresentações em emissoras de rádio.
     Na década de 1940, prosseguiu a vida artística, gravando e atuando no rádio. Entretanto, em 1945, casou, teve três filhos e decidiu interromper a carreira artística por alguns anos. Retomou o trabalho musical na década de 1950, quando gravou alguns LPs com músicas suas e de outros autores. Em 1963, comprovou ser uma importante intérprete da obra de Noel, ao gravar, pela Musidisc, o LP duplo “História Musical de Noel Rosa”.
     O sucesso de Marília Batista foi grande até a década de 1960, marcado por gravações e apresentações em Rádio e TV ou nos palcos. O último grande momento de sua carreira foi uma apresentação no Teatro João Teotônio, em 1988, no projeto “Concerto ao Meio Dia”, uma entrevista musical comandada por Ricardo Cravo Albin. Foi exaustivamente aplaudida pelo público que lotou o teatro.
Marília Batista faleceu, no Rio de Janeiro, em 9 de julho de 1990. . Mas é uma artista que precisa ser lembrada pela sua importância na música brasileira. Além de ter divulgado grandes sucessos de Noel Rosa, foi uma artista completa. Deixou uma importante obra como compositora, inclusive sucessos de Carnaval e suas músicas foram lançadas por grandes nomes como Francisco Alves e Elizeth Cardoso.
 

Publicidade