Homenagens

Toninho Canecão, o jongo e o quilombo

Por Alberto Buaiz Leite - 25/11/2016

Como diz meu amigo Luis Pimentel, editor desta revista, “uma boa imagem merece uma história”. Assim, resolvi escrever algo sobre esta foto tirada no Quilombo São José da Serra, em Valença, em setembro passado. Na foto estou ao lado de Toninho Canecão, líder daquela comunidade que recebe os visitantes com extrema cordialidade. O quilombo recebe grupos para visitação e, além do passeio pelo local, é servida uma deliciosa feijoada, como também nos brindam com uma belíssima apresentação de jongo.


     Já que estamos em novembro, mês em que se homenageia Zumbi dos Palmares e se reverencia o legado cultural dos negros brasileiros, herdado de seus ancestrais africanos, vamos fazer algumas considerações sobre o jongo, uma das mais significativas expressões culturais deste povo.


     O jongo é uma dança afro-brasileira para divertimento, mas que tem uma motivação religiosa. É originário do Congo e Angola e foi trazido para o Brasil pelos bantos. Os jongueiros dançam em roda, no sentido inverso do horário, e em balancê, simulando abraços e umbigadas, mas não se tocam. Os cânticos são chamados “pontos” e têm uma linguagem metafórica. O acompanhamento é feito por tambores e chocalhos.

Publicidade


     O jongo já foi incorporado à música brasileira e podemos citar alguns exemplos. No LP “Suor no Rosto” (RCA), lançado em 1983, cantora Beth Carvalho gravou vários jongos, de autores diversos como Darcy Monteiro, Mestre Fuleiro, Candeia, Alvarenga e Vovó Maria Joana. Wilson Moreira tem em sua obra musical, alguns jongos gravados por ele e por outros intérpretes, sendo o mais conhecido o “Jongo do Irmão Café”, em parceria com Nei Lopes e com magnífica interpretação de Roberto Ribeiro, no LP “Massa, Raça e Emoção” (EMI Odeon), de 1981.


     Felizmente não é difícil assistir a uma apresentação de jongo. O grupo do Jongo da Serrinha, vez por outra, faz apresentações em vários locais do país e outra possibilidade é visitar o Quilombo de São José da Serra, do nosso amigo Toninho Canecão. Para os interessados basta entrar em contato com ele pelo telefone 24-2457-1130.
 

Publicidade