Especial

História de uma foto

Por Alberto Buaiz Leite - 19/05/2016

Há algum tempo, no Facebook, publiquei uma foto em que apareço ao lado de Chico Santana, Alberto Lonato, Paulinho da Viola e Manacéa. O editor desta revista, Luis Pimentel, meu amigo no Face e fora dele, pediu que eu escrevesse algo traduzindo aquele momento. Como uma boa imagem merece, pelo menos, mil palavras, escrevo algumas, lembrando aquele instante e aqueles amigos.


A foto foi batida pelo japonês Katsunori Tanaka, na casa do Paulinho da Viola, no Itanhangá, há exatos trinta anos, numa tarde de maio de 1986. Tanaka sempre apreciou o samba carioca e veio ao Brasil com o intuito de produzir um disco com a Velha Guarda da Portela, pois não se conformava com o fato dela só ter um álbum, gravado em 1970. Mas o japonês precisava conquistar a confiança dos compositores portelenses que não tinham certeza se o negócio seria bom. Diante desta dúvida, resolveram buscar a opnião daquele que era considerado o padrinho artístico do grupo e que havia produzido o primeiro disco da Velha Guarda - Paulinho da Viola. Assim, naquele maio de 1986, eu, Chico, Manacéa, Alberto e Tanaka fomos para o Itanhangá ouvir a opnião do mestre.


A minha presença, no encontro, deveu-se ao fato de ter carro e poder levá-los lá. Como membro da ala de compositores da Portela, sempre tive forte ligação com o pessoal da Velha Guarda. Costumava acompanhá-los em suas apresentações, sempre dava carona a eles, enfim, era um amigo do grupo. Desta forma, quando houve a necessidade de ir à casa do Paulinho, eles pediram que eu os levasse. Conversaram por um longo tempo, até que o padrinho percebeu que a gravação seria uma iniciativa proveitosa para o grupo e deu seu parecer favorável.

Publicidade


A foto em questão foi tirada após o término da conversa. O clima era de alegria, especialmente por parte do Manacéa. Ele ficou tão contente que, na volta para casa, pediu que eu parasse, num bar, em Jacarepaguá, para comemorar tomando umas cervejas. E não parou aí a comemoração. Ao chegar a Madureira, eu e Alberto Lonato fomos a uma roda de samba, perto da Portela, e lá bebemos mais algumas “geladas”. O Manacea tinha ido para casa, mas não resistiu e, de repente, ele que não era muito de sair, apareceu e continuou a beber conosco.


Esta é a história da foto apresentada. Reflete o desfecho da reunião que possibilitou o lançamento do belíssimo disco Grandes Sambistas - A Velha Guarda da Portela, gravado em junho de 1986 e lançado pela Kuarup Produções.

 

Publicidade